Ler Não é Liderar

Ler Não é Liderar

 

As reuniões de segurança têm a intenção de aumentar a conscientização sobre segurança, mas em muitos casos elas apenas produzem  apenas sono nos colaboradores.

A minha experiência pessoal com isso (e com o treinamento dos líderes dessas reuniões, posteriormente) me diz que a maioria das reuniões de segurança antes do trabalho é simplesmente “lida” e não “liderada”. O líder da reunião segue um checklist para ter certeza de que tudo está funcionando, tudo foi abrangido e a obrigação de realizar a reunião de segurança é assim satisfeita.

O engajamento e a participação dos funcionários costumam ser reduzidos para permitir que eles leiam um relatório de incidentes para o restante do grupo. Mas pergunte aos participantes 30 minutos depois sobre o assunto do incidente e você certamente os encontrará com olhares vazios.

O engajamento vem por meio da facilitação da mensagem sonora. A facilitação é uma habilidade do líder em fazer perguntas abertas bem formuladas, que estimulem o pensamento e a discussão. É sobre o líder falar menos – não mais – nessa reunião.

 

DICA: Em uma reunião de segurança antes do trabalho, use três perguntas abertas para estimular o diálogo de valor sobre as operações daquele dia:
1. “Fale-me sobre o que vamos fazer hoje”.
2. “Quais perigos provavelmente vamos encontrar nesta tarefa?”.
3. “Quais são alternativas para mitigar / eliminar esses riscos?”.

Perguntas como essas estimulam a discussão e transferem efetivamente a propriedade da segurança do líder para todos os outros.

Os líderes em segurança não consegue através da abordagem tradicional em segurança alcançar a melhoria contínua do desempenho?

Conheça o Behavior Based Safety (BBS) ou Segurança Comportamental, sendo uma das mais importantes iniciativas para a melhoria da Segurança nos últimos 35 anos.

O BBS – Behavior Based Safety ou Segurança Comportamental é um processo que oferece às organizações a oportunidade de aumentar o nível de excelência em segurança pela promoção de uma resposta rápida aos indicadores pró-ativos, construindo o senso de propriedade, a confiança, unidade nos times e fornecendo oportunidades de empowerment relacionadas à segurança do funcionário. Igualmente importante para a cultura organizacional, o BBS fornece, à gestão da linha ou da operação, a oportunidade de provar e demonstrar os seus valores no local onde a verdade ocorre – a operação.

Este pode ser o momento de avançar. Não por que os princípios da gestão do comportamento seguro estejam defasados, pois eles foram definidos a partir da década de 70. Mas porque o mundo e as pessoas estão em constante mudança, e hoje há formas melhores para aplicar segurança.

Você já conhece nosso curso de Prevenção em Acidentes – PSC 1.0?

Saiba mais clicando neste link: Clique aqui!

Recommended Posts