Atos Evaporativos – Abordando os Pontos Fracos da Operação

 In Blog, Cultura de Segurança, Percepção de Riscos, Segurança Comportamental

Atos Evaporativos

Recentemente, um engenheiro de segurança me relatou uma descoberta perturbadora sobre atos evaporativos. O assunto foi tema de uma reunião gerencial na empresa em que trabalha:

– A responsabilidade deles em melhorar a Segurança estava sendo prejudicada por uma cultura de atos evaporativos nos grupos operacionais. Há relatos de que com a aproximação do observador, o funcionário observado altera o seu comportamento e passa a trabalhar seguro até o final da observação.

 

Em 30 anos de experiência desenvolvendo Cultura, Liderança e Comportamento Seguro aprendi que esta cultura é algo que pode existir nas empresas, em algum momento de sua jornada.

Isso nos leva a perceber que para uma fração da população:

  • Quando o observador, o gestor ou o pessoal da segurança é avistado ou a presença foi programada, os funcionários operacionais são rigorosos em seguir todas as regras e usar os EPI´s.
  • Quando o time não recebe a visita do o observador, o gestor ou o pessoal da segurança há uma atitude distante da cultura de segurança desejada.

 

Geralmente isto é observado num pequeno percentual de pessoas altera o seu comportamento ao se perceber observado. O maior percentual que encontrei foi da ordem de 7 a 8 % das observações.

 

Usualmente algumas causas de atos evaporativos podem ser:

  • Cultura: é assim que trabalhamos.
  • Evitar uma possível punição
  • Nós vs. Eles, decorrente da visão de que operação unida se protege contra as ameaças externas (RH, Segurança, Gestores, etc)
  • Uma liderança operacional pobre e reativa.
  • Falta de confiança, que também é fruto de uma liderança fraca.

 

Os resultados desse tipo de cultura de atos evaporativos incluem:

  • Uma falsa sensação de segurança que inevitavelmente leva a acidentes.
  • A constatação de que, enquanto a supervisão (chefia imediata da operação) não assumir a iniciativa de abordar as questões de segurança, o profissional de segurança permanecerá preso (numa armadilha) a um modo reativo de correção de incidentes ou comportamentos de risco.

 

Identificada a necessidade de fortalecer a liderança para melhorar a cultura de segurança na operação. Sugiro que se desenvolva e viva uma cultura de segurança que incorpore:

  • Se você ver, você é o dono.
  • Faça certo, faça certo o tempo todo.
  • Pare, pense e aja corretamente.

 

No início das minhas implantações eu costumava medir este problema. Então uma boa sugestão para descobrir o tamanho deste problema é:

– Acrescente ao seu formulário de observação a categoria: REAÇÃO DAS PESSOAS e os seguintes comportamentos:

  • Arrumando o local de trabalho
  • Ajustando / colocando EPIs
  • Alterando sua posição

 

Com a medição destes comportamentos você irá saber as áreas em que isso realmente é um problema e poderá realizar uma análise ABC (análise comportamental) para identificar as causas que motivam a alteração do comportamento com a aproximação do observador.

Com o tempo parei de medir e incorporei as soluções ao Programa Comportamental Cuidar Mais. Com isso aumentou a efetividade do programa, tornou-se mais simples e mais motivador.

Pergunto a você: Os atos evaporativos são uma fraqueza na cultura de segurança da sua empresa?

 

PARTICIPE DO CURSO EM CERTIFICAÇÃO EM SEGURANÇA COMPORTAMENTAL!

Artigos Recentes
reduzir os acidentes