Quem Deve Implantar a Segurança Comportamental?

 In Segurança Comportamental

Quem Deve Implantar a Segurança Comportamental?

Preste atenção aos fatores essenciais que as pessoas levam em consideração ao fazer uma contratação

Garantia

Você compraria um veículo com a estrutura comprometida? Provavelmente não, mas essa analogia representa exatamente como as organizações tendem a investir em segurança comportamental.

Para efeitos de entendimento neste texto, o termo BBS refere-se a Behavior Based Safety ou Segurança Comportamental.

Quando os líderes de uma empresa decidem que é o momento para uma abordagem comportamental para a prevenção de acidentes ou para a busca do acidente zero, quem é que deve realizar a implantação: consultores externos ou internos? Como um especialista em BBS, com 20 anos de experiência neste campo, a prática mostrou que as organizações devem olhar primeiro para as capacidades internas.

Descoberta em 20 Anos

Após inúmeras auditorias em programas de segurança comportamental, avaliações de sustentabilidade e maturidade destes programas, existentes em todas as grandes indústrias, uma triste verdade não pode ser refutada – as organizações que não tentam internalizar os conhecimentos necessários para o sucesso a longo prazo no BBS no início, raramente o fazem mais tarde. Depois que a informação mais importante para o processo é, em grande parte exteriorizada, um consultor deve permanecer de plantão; o que não é a maneira mais saudável para liderar uma grande melhoria em qualquer área de atuação. As mais efetivas melhorias de cultura são conduzidas de dentro das organizações.

O BBS é uma abordagem comprovada internacionalmente tanto para melhorar a cultura de segurança e para entender o que influencia os comportamentos para a prevenção de acidentes. Ela não exige um psicólogo, um sociólogo ou um cientista comportamental para ser bem sucedido.

Nestes anos de trabalho com BBS, treinamos um enorme número de pessoas para se tornar Consultores Internos de BBS e nem todos eles eram profissionais de segurança. De funcionários operacionais, coordenadores, engenheiros, auxiliares de logística, gerentes de fábrica, executivos e até mesmo profissionais de tecnologia da informação, todos conduziram com sucesso o processo de BBS personalizado para as suas próprias organizações.

Cultura da Organização

O que todos eles tinham em comum era a sua capacidade de entender melhor a sua cultura e o que as pessoas iriam ou não apoiar. É aí que reside o fator chave para fazer o BBS trabalhar para qualquer empresa em qualquer país – a abordagem deve ser feita para se ajustar a empresa em vez da empresa se ajustar à abordagem. Certamente um especialista externo pode ter uma percepção aguçadada cultura, mas os funcionários já possuem esta percepção. Então como eles podem se envolver para ajudar a garantir uma abordagem adequada e ajustada à cultura existente?

Os consultores externos certamente podem adicionar um valor significativo devido à sua experiência. Depois de 20 anos de implantações personalizadas em que realizei pessoalmente, adquiri a experiência para prevenir e lidar com problemas difíceis de se identificar durante as implantações e para manter a sustentabilidade no decorrer dos anos; mas o quanto de expertise é suficiente?

O Segredo

Várias empresas têm sido bastante bem sucedidas com uma única pessoa treinada e certificada através de nossos workshops avançados. Outras organizações que buscam implantar em muitos locais estão tendo o que a M&M Tecnologia Comportamental chama de “abordagem híbrida para a Segurança Comportamental (BBS)”, no qual os recursos (internos e externos) são aproveitados para internalizar gradualmente a metodologia completa em um formato just-in-time e suficiente.

Normalmente, os funcionários são selecionados e treinados nas diversas ferramentas em torno do BBS que produzem uma competência significativa para colocar os conceitos em prática. Essas pessoas tornam-se competentes em como avaliar a cultura e para determinar o caminho de uma implantação personalizada, bem como na forma de auditar e melhorar o processo continuamente. Em seguida, eles participam da primeira implantação, passo a passo, voltando para as suas próprias áreas imediatamente depois de colocar em prática o que acabaram de aprender.

A Importância do Mecânico

Ao comprar um veículo com a estrutura comprometida, é preciso contar com um mecânico para qualquer reparo. O mesmo é verdade quando uma empresa não tem a capacidade de modificar e melhorar a sua abordagem comportamental para a melhoria da segurança. Tenha certeza de que se o recurso interno não é desenvolvido, você terá que gastar com consultores internos todo mês e a cultura não se desenvolverá. Pense nisso! Dependência não é evolução.

Teoricamente, qualquer processo que contribui para a melhoria da segurança, do comportamento seguro e, ao longo do tempo, influencia e melhora os hábitos da força de trabalho, também melhora a cultura. Se a cultura é então melhorada, o que funcionou no início para a implantação do BBS deve ser ajustada para se adequar à nova realidade. Caso contrário, ele vai se desconectar da nova e melhor cultura, tornando-se algo estranho e caro para se manter, tendendo a ser descartada ou seriamente comprometida. Com isso, finalizo com um pergunta – “Qual será a capacidade de resposta neste contexto, se você já tiver os consultores internos com experiência e preparados?

Escrito por:

Carlos Massera é um consultor de gestão e comportamento, palestrante em Segurança e Liderança. Autor de “7 Fatores para o Sucesso de Seu Programa Comportamental, ” O que é a Segurança Comportamental”, “Como a Liderança Garante a Melhoria para a Segurança”  e o seu livro mais novo a ser lançado na Amazon “Aumentando a Percepção dos Riscos”.  Ele é um especialista em como alcançar as pessoas – como falar com elas para ouvirem e entenderem.  Clique aqui para obter mais informações e para conversar sobre as  suas necessidades com o Carlos Massera.

Recent Posts